16 de outubro de 2017

Armário Cápsula ou Guarda-roupa inteligente?

Armário cápsula ou guarda-roupa inteligente, eis a questão. Este é um post introdutório sobre o assunto aqui no blog, e também, claro, registra a minha rápida impressão sobre essa pergunta "Armário Cápsula ou Guarda-roupa inteligente"?! Acompanhe os esclarecimentos sobre o tema, e esclareça sua reposta depois também!


Armário Cápsula ou Guarda-roupa inteligente?



Armário Cápsula: num papo reto e direto


Sobre quem começou com essa "moda"
Armário Cápsula bombou na internet a partir da blogueira Caroline Rector do blog Unfancy quando comunicou que viveria com somente 37 peças. A partir daí uma grande galera começou a se interessar sobre e olhar para seu guarda-roupa com um jeito diferente. Resultaram muitos vídeos de meninas e blogueiras contando como organizaram seu armário cápsula, quem as inspirou, como eram consumistas, passaram a viver com menos, e como estão felizes com essa transformação em suas vidas. Quem não o fez em vídeo, o fez em posts escritos também, e o assunto viralizou.


Sobre o conceito essencial
Se você teve uma brilhante ideia, mas não foi a sua que bombou na internet, conforme-se querida, não é você que terá a fama, e muitos não lembrarão que você existiu algum dia. Digo isso pois a origem do termo "armário cápsula" surgiu bem antes dessa febre da net, na década de 1970, com a estilista Susie Faux. Ela só queria propor um guarda-roupa inteligente, com poucas peças, com itens essenciais - básicos e curingas - que são sempre lindos e elegantes, e também algumas peças atuais (porque minar o consumo totalmente é castigo, né?!). Nessa onda de menos é mais, poucas roupas, peças legais, que combinem e façam sentido entre si, e melhor: que você use, não deixe jogado de qualquer jeito de no fundo do armário! Não soa totalmente como um guarda-roupa inteligente?!

Sobre a implementação, na real
Armário cápsula é um movimento legal, que faz a galera consumista se intimidar e desejar de uma hora para outra se livrar de tudo o que tem para então passar a viver com a quantidade de peças que diz a regra, ou com o realmente ama e gosta de usar. Viver com menos. Analisar conscientemente seu closet e desapegar - doando o que não curte mais. Só atenção: tem muita gente doando, muita gente desapegado, e continuando a consumir loucamente... para quem iremos doar se não frearmos e realmente praticarmos o consumo consciente?! Se o hábito de comprar é muito irresistível, a ideia de fazer Armário Cápsula para muitas meninas é pura febre passageira, como dizem, fogo de palha. Aprender a consumir com consciência, combinar looks, valorizar o que temos, é muito mudança de hábitos, e nem sempre é tão fácil assim quanto parece. É possível, sim, mas requer muito foco, mesmo. Não é projeto de 1 ano, mas um projeto a longo prazo, por tempo indeterminado.

Sobre como funciona
Definir um número x de peças para passar a estação, incluindo lenços, bolsas e sapatos. Com base nessas peças você monta seus looks. Não contam roupas de academia, pijamas e roupas íntimas.

Sobre as vantagens 
  1. Economia de dinheiro.
  2. Economia de tempo para localizar o que você realmente gosta.
  3. Aproveitar as peças que tem.
  4. Descobrir seu estilo - pois você só irá usar o que ama, esse é um dos princípios.
  5. Não ter de sofrer mais aquele drama "com que roupa eu vou?".
  6. Manter no armário o que tem a ver com sua rotina de vida e trabalho. As peças que não usará a ideia é tirar de vista: guardar numa mala ou no maleiro, na parte mais alta, onde você acessa pouco.
  7. Sobre novas aquisições: a regra é adquirir algo novo somente quando estiver mudando a estação e você começar a criar seu próximo armário cápsula da estação. É ruim cumprir essa regra, hein...

Sobre o estilo
Seu guarda-roupa deve ter a ver com você. Precisa fazer sentido, entende? Se você odeia saia, pra que saia? Se detesta jeans, porque tem 4 que nunca usa? Se adora look esportivo, que sentido faz um terno no seu closet? Se é uma secretária executiva, talliers serão uma marca registrada: indispensáveis! Sentiu o clima? Precisa ter a ver. Estilo não é rótulo, é usar o que você ama e te faz sentir bem, isso é estilo. Se quiser misturar tudo, ok. Se quiser ser clássica, ok. Se quiser ser mais esportiva, ok também.

Sobre quantidade de peças 
Existe uma conversa sobre número x de peças, mas nem toda regra existe para ser seguida, não essas. A tal regra do número é uma sugestão. A grande maioria opta por reduzir, e como isto é um processo, não se transforma e finaliza de uma estação para outra, toda redução já é significativa. Bom senso é a palavra.

Sobre novos olhares e ideias legais 
  1. Tem aquela sugestão que sempre quis fazer mas nunca tive paciência, e achava o cúmulo da organização (tá, isso já é demais), que é fotografar as roupas para combinar looks, como aquelas imagens de revistas. Tal peça combina com isso, isso e isso... não considerei importante fazer, mas tem galera que faz e acha legal. Fica bonitinho e inspirador!
  2. Parece meio natural termos menos peças de baixo (caças, saias, shorts), pois com mais peças de cima conseguimos combinar mais looks. "Para cada parte de baixo ter de 3 a 5 peças de cima" parece ser uma boa meta.
  3. Se você mora numa região quente, não precisará de muitos casacos e blusões de lã. Talvez nem precisará, mas se morar numa região fria, seu armário com certeza terá mais peças, pois abrigará as 4 estações! Leve em conta o clima de sua região para compor seu guarda-roupa.
  4. Básicos são sempre curingas, então, um guarda-roupa inteligente tem de ter! Quais são os seus básicos preferidos? Seja de peças ou cores?

Eu escolho um guarda-roupa inteligente

Há mais de 10 anos, quando mergulhei nesse mundo chamado "organização" e decidi que precisava organizar todos meus espaços, rotinas e tarefas, um dos primeiros lugares que ataquei foi qual? Sim, o guarda-roupa. Quando me certifiquei como Personal Organizer foi a mesma história, precisava acertar melhor todas aquelas dobras! Otimizar os espaços! Conseguir encontrar o lugar certo para cada coisa... aprender a desapegar, consumir com consciência, é um processo mais longo do que resumir a novela num curto e único capítulo. Poucos tem coragem de reconhecer isso, é como se num passe de mágica a transformação acontecesse. Não foi para mim.

Ok. A partir dali (2010) comecei a registrar tudo em fotos, e alguma coisa compartilhei aqui no blog na tag Meu Guarda-roupa. Porém tinha uma certa vergonha de mostrar, sabe porque? Por que precisava desapegar mais. Então foi sutil. Se mostrasse para vocês o armário cápsula do marido, vocês ficariam de queixo caído: como pode os homens serem tão práticos e essenciais? As categorias dele não mudaram como as minhas. Em 2010 eu tinha uma pilha de camisetas, hoje não tenho mais nenhuma (descobri que detesto camisetas). Em 2010 tinha vestidos de festa no guarda-roupa que usava raramente, hoje tenho vestidos que eu uso toda semana, e amo eles! Meu marido sempre disse que adorava que usasse vestidos e eu teimava no velho jeans e camiseta. Short e blusinha. 

Enfim, olhando para o lado dele sempre tão bem organizado porque só mantinha o essencial, levei algum tempo para transformar o meu e só manter o que eu gostava. Desde 2014 quando nos mudamos para Marechal Cândido Rondon, oeste do Paraná praticamente não usei mais cachareis, blusões, moletons e casacos de frio. É muito quente aqui. Dá pra passar bem com vestidos o ano todo, delícia! Nesse meio tempo engravidei duas vezes, e isso mudou também toda a cara do guarda-roupa, e me deixou bem enrolada com o que realmente gostava de usar e poderia usar, por causa das mudanças físicas que aconteceram.

Assim, não cai de amores por esse movimento nos últimos anos que foi o tal do armário cápsula, não exatamente nesses moldes. Eu acredito em guarda-roupa inteligente, que parece ser a essência da coisa. Que muda conforme as fases da vida. Que se pauta no essencial, em peças que fazem você se sentir linda e maravilhosa, bem e confortável. Que não se baseia na onda do momento. Nunca fui de seguir a moda, mas o que eu curtia usar. Sempre odiei saia e vestido, adorava camiseta e calça jeans, saias longas, looks esportivos. Como é visto: gostos mudam, nós mudamos e esse tal "estilo" que é a nossa marca de se vestir também muda. Estilo é você que define, é você que escolhe, é o que te deixa de bem consigo mesma.

Outra coisa que não gosto é de ter de "revezar" as peças no guarda-roupa conforme as estações, acho um saco isso. Para mim, prateleira é lugar disso, cabides é para isso, gaveta para aquilo. O que uso raramente vai para o maleiro, simples assim. Muda a estação, mas as peças no guarda-roupa permanecem lá, praticamente no mesmo lugar. Sei que pode parecer radical, mas organização prática e funcional para mim é assim.


O que achou dessa história toda: prefere transformar seu closet num armário cápsula ou num guarda-roupa inteligente? Super repeito sua escolha, mas fico com a segunda opção. Se optar por armário cápsula, iremos conversar mais sobre nos próximos dias, e trarei dicas super legais para você refletir e construir o seu, aguardem!

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

GOSTOU DESTE CONTEÚDO? COMPARTILHE!