5 de agosto de 2017

Renovando o guarda-roupa básico e descolado dos meninos

Amo ser mãe de menino, amo compor um guarda-roupa básico e descolado para eles, amo o Miguel conseguir reaproveitar tantas peças que o Guilherme já não usa mais! Tudo isso é muito bom, e sem essa de que "Era do Gui, não vou usar". Ainda bem que ele não é esquentado com isso, mas também quando invoca de não usar um moletom de "cachorro que faz barulho nas orelhas" paciência, vamos doar! Ele não é obrigado a gostar de tudo, felizmente essa indignação até hoje foi somente com esse moletom em especial. Quando componho o guarda-roupa deles (e também o nosso!) prezo sempre pelos seguintes requisitos:

Renovando o guarda-roupa básico e descolado dos meninos


Consumo consciente:  
Não manter excessos de peças, não comprar porque acho bonitinho, comprar quando não serve mais e começa a faltar alguma coisa mesmo, por necessidade. Houve tempos (quando eram bebês) em que eles ganhavam bastante peças, então, sempre ponderava as aquisições. Isso é importante tanto pelo espaço, pois ambos dividem o mesmo guarda-roupa (o que era meu na adolescência), e também porque acho um pecado comprar e acabar não usando, ou usando muito pouco. "Estocar roupa" só realmente quando é coisa boa e o outro poderá usar lá na frente, não comprar para estocar e usar algum dia (claro!).

Conforto:  
Não curto tanto assim looks mais sociais, meninos querem correr, brincar, rolar, então no dia a dia ou em eventos cotidianos um look mais básico ao meu ver cai bem melhor. O bolso também agradece. Eles até tem algumas peças estilo social, camisa, jeans, mas nunca comprei um sapatinho social para eles, por exemplo. Não curto, porque acho que eles vão curtir mais um Converse All Star. Em geral, o look que mais gosto também para nós (meu marido e eu) é o básico e descolado, mesmo que às vezes seja necessário um traje mais social, dependendo do evento.

Brechós: 
Desde Itajaí/SC, quando participava de um grupo de mamães no facebook vendendo e trocando coisinhas de bebês, me encantei com essa história de valorizar o usado e repassar o que está em bom estado. Numa fase em que os pequenos crescem tanto, e as peças logo ficam obsoletas, vale muito a pena, para o planeta e também para o bolso. Hoje sou super fã do brechó Passapassará, aqui de Marechal Cândido Rondon/PR, e já consegui vender/comprar coisas muito bacanas por lá.

Qualidade: 
Sem excesso de peças como eu já disse e vestuário barato, mas mais peças duráveis, de qualidade, nem que se pague um pouco mais por isso. O custo x benefício não compensa você comprar mais a um preço baixo. Já fiz o teste com algumas peças pro Guilherme, mas elas ficaram tão surradas com 1 ano de uso que tive de passar adiante, não tive coragem de usar no Miguel. Ele já herda tanta coisa do irmão, mas que sejam peças gostosas, seminovas e bonitinhas.

Marcas: 
Este requisito tem muito a ver com o anterior. Minha preferência é por marcas nacionais, básicas, estilosas e descoladas, como Malwee, Hering e Gatos & Atos, verdade seja dita. Se existem outras formas de adquirir peças de qualidade me falem, porque sou meio inocente para isso, e até hoje fui fiel às minha preferidas. Não estou ganhando nada ($$$) por disseminar este meu hábito de consumo, mas já ganhei dinheiro não precisando renovar o guarda-roupa a cada ano por adquirir peças lindas e apaixonantes que dá vontade de nunca se desfazer delas (algumas me acompanham há anos! e parecem sempre novas, sério! 

Renovando o guarda-roupa básico e descolado dos meninos

Por essa "conversa" deu para perceber que consigo combinar perfeitamente os valores Simplicidade, Criatividade e Sustentabilidade, também na organização do guarda-roupa da família, não é mesmo?! E você, que valores preza ao compor as peças do seu guarda-roupa, das crianças ou da família!? 

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

GOSTOU DESTE CONTEÚDO? COMPARTILHE!