30 de outubro de 2015

Eu, dona de casa?! As Amélias do Lar...



Se você mora sozinha(o), com marido (esposa), filho(s), animal de estimação, ou vive só, numa casa, sim, você é dona(o) de casa. Saiu da casa dos pais, para construir sua independência, ter o seu cantinho (apartamento, casinha, apê)? Parabéns, você é dona(o) de casa!

Há 15 anos atrás quando eu vivenciei isso, achava esse termo um palavrão, porque me incomodava pelo fato de ser somente “dona de casa”. Era muita novidade para assimilar, só o status “esposa” já era assustador. Ai, ai, ai, melhor não falar sobre essa época, eu era complicada demais. Enfim, nesse tempo acho que vivi todas as fases possíveis como dona de casa. Utilizarei o termo "Amélia", sem me aprofundar no porquê desse nome, mas leia-se Dona de Casa.

 

Amélia “às Antigas” 


Que trabalha em tempo integral em casa (inconformada) mesmo sem parar de estudar – de olho no futuro.

Amélia moderninha


Que vive em voltas com a correria entre casa, estudos (faculdade, pós-graduação, cursos, porque precisa estudar “tudo” antes de engravidar) e trabalho fora de casa.

Mamãe Amélia 


Que precisa tocar na orquestra onde o grande maestro é o baby, o mais novo integrante do lar doce lar. Que vive toda uma adaptação da vida, antes tão "previsível", agora cada dia um ponto de interrogação do lar com bebê e filhos.

Mamãe Amélia moderninha


Que não aguenta trabalhar somente em casa com tarefas domésticas, e que busca empreender, fazer algo além do lar/cuidados com família e filhos, aquela que quer "abraçar o mundo", mais causas, fazer mais, um algo mais.

O fato é que ser homem é bem mais fácil, eles lidam com tudo de forma mais descomplicada. São mais objetivos, diretos, práticos. Mesmo que morem sozinhos não tem o rótulo “Dono de Casa”, porque automaticamente já fazem algo além disso, o que os torna independentes e o que os define é sua profissão além do lar. Eles são bem resolvidos, e ponto final.

E as mulheres “donas de casa” de tempo integral, as Amélias às antigas, se ainda existem, o que é que a gente tem a ver com isso? Cada um é o que escolhe ser, o que acha melhor para si, o que faz sentido para sua vida. Virar uma Mamãe Amélia e dedicar-se a educação de um filho, por um curto período de tempo, que é tão passageiro, é um ato de coragem e amor, e não é toda mulher que consegue fazer isso de forma sincera e descomplicada, sem cair em depressão. 

Ser dona de casa é muito legal, mesmo! Cuidar da casa é um desestresse, decorar ela uma delícia, gerenciar tudo e ter mais gente na roda fazendo as atividades domésticas melhor ainda! Ter uns pequenos seres descobridores dentro dela um terror (mais ou menos...), mas que eles dão nova vida ao lar, isso dão. Tem dias que é uma verdadeira balada em casa, e a gente conclui que ter filhos é uma aventura, um desafio, é sair da zona de conforto do egoísmo e aprender a servir, se doar, amar.

Chegará uma hora que você vai olhar além do lar, e é bom que desenvolva outros interesses além de casa e filhos, pois você realmente não é somente isso, ou é? Se lhe falta coragem para fazer alguma coisa diferente, quem sabe depois eles te inspirem...

Seja você a Amélia que for, seja mais você, feliz com suas escolhas.

28 de outubro de 2015

O trabalho para mim é... por Olga Hannes

Conforme anunciado em O trabalho para mim é # diferentes profissionais e conceitos, cada mês irei trazer um bate papo para o blog com questionamentos relacionados a trabalho. O post é totalmente esclarecedor, então, na dúvida, volte lá para entender a sequencia dos posts da categoria.


O motivo...


Quando me casei demorou pra eu me aceitar e reconhecer como esposa e dona de casa. Era muito nova, aconteceu tudo tão rápido, não estava nos meus planos casar antes de estudar e me formar. Era uma frustração pra mim dizer que era dona de casa, por muitos anos, pois queria mais do que isso. Sempre gostei de cuidar da casa (limpar e organizar), mas tinha aversão a cozinha, pia e fogão. Só que eu ou ele tínhamos de aprender, e claro, a escolhida fui eu. Fizemos muitas amizades naqueles primeiros anos, e aprendi muito com nossos casais de amigos. Óbvio que sempre admirava mais aqueles onde as mulheres tinham o apoio do maridão nas tarefas domésticas, e ainda mais: onde toda a família era mobilizada a fazer a sua parte. Um destes casais são nossos compadres, a Olga e o Ricardo. Além das atividades profissionais e projetos pessoais, eles cuidavam e cuidam da casa e da família em parceria. O exemplo deles é uma inspiração para nós, como casal, tanto para os cuidados com a casa como com a família, pois fazem isso com muito amor. Com eles, aprendi a amar tudo isso também! Felizmente a Olga, mãe de 3 filhos, é bem resolvida, e respondeu as questões focando o lado profissional, não o lado família/casa.

 

O trabalho para mim é... por Olga Hannes



Nome: Olga Beatriz Hepp Hannes

Profissão: Engenheira de Alimentos

Local onde vive: Jaraguá do Sul/SC

1. O que o trabalho significa para você? 

Realização profissional, satisfação por produzir algo interessante pra mim e para as outras pessoas, sentir-me uma pessoa útil.

2. Conte, resumidamente, quais atividades você desenvolve no seu trabalho.

Atendimento aos clientes de minha empresa de representação, acompanhamento dos processos de garantias/qualidade, responder aos questionamentos técnicos sobre os produtos, orientações ao uso correto dos produtos, assessoria técnica para novos desenvolvimentos, acompanhamento dos pedidos de compra, orçamentos, divulgação dos treinamentos oferecidos, palestras técnicas orientativas sobre o produto e qualidade.

3. Você sempre trabalhou nessa área? Foi algo planejado, aprendido e treinado ou seus dons/vocação o direcionaram a esta atividade?

A área de assessoria técnica está dentro da minha atividade profissional a bastante tempo (20 anos). Foi algo planejado e com a experiência vivida no início da carreira foi possível desenvolver e, com o passar dos anos, o estudo constante possibilitou ampliar as qualidades para atuar nessa área.

4. Seu casamento com sua profissão atual sempre estiveram bem? Houve algum desejo de "chutar o balde"? Se sim, o que te motivou a continuar?

Nem sempre foram "rosas", os "espinhos" aparecem, mas o desejo de "chutar o balde" é superado pelo compromisso assumido e, tentar sempre uma nova estratégia para que o trabalho se torne algo agradável.

5. Você considera a organização importante na sua vida e no seu trabalho? Porquê?

A organização é importante sim porque torna tudo mais fácil. Uma mesa de trabalho organizada te dá sensação de bem estar, leveza e segurança de que nada foi esquecido de fazer.

6. Como você se organiza no trabalho? Utiliza recursos físicos ou tecnologia? Especifique.

Utilizo recursos físicos como agenda, bilhetinhos coloridos, e agenda virtual, pois trabalho muito tempo no computador.

7. Onde podemos encontrar mais informações sobre você e seu trabalho? (rede social/contato)

Mantenho meu currículo atualizado no Linkedin. Ou através do meu email: olga@hannes.com.br

8. Tem algo a acrescentar, que não tenha sido questionado, mas que possa ter lembrado durante essa breve reflexão sobre seu trabalho e/ou alguma mensagem final?

Importante no caso das mulheres casadas, mães e profissionais, com amor e muita vontade de acertar no ambiente familiar e profissional, deixar filhos educados para o mundo. Conseguimos realizar nossas atividades, nem sempre do jeito que planejamos, mas devemos ter muita dedicação, observação, busca por bons exemplos, leitura de bons livros, ouvir boas palestras, tendo Deus em primeiro lugar e sendo incansáveis. O resultado aparece com o tempo e é maravilhoso.

26 de outubro de 2015

Atitude # 34 - Defina sua missão de vida.

Atitude # 34 - Defina sua missão de vida.


Atitude # 34 - Defina sua missão de vida.



Hoje fugirei um pouco da interpretação do livro que inspira esta série, pois acho que ele merece mais. É muito óbvio que quando você trabalha engajado na sua missão, os medos e dificuldades são mais fáceis de serem superados, e são vistos como desafios e/ou escadas que levarão ao crescimento. Agora, como vou definir minha missão de vida? Se você não sabe qual é a sua, supere-se e a descubra! Tão fácil escrever né...

Quando comecei a aplicar o GTD, aos poucos muita coisa passou a ficar mais clara para mim. As coisas começaram a acontecer, porque comecei a parar de reclamar que "nada dá certo para mim" e a fazer alguma coisa a mais do que vinha fazendo. O GTD constrói um planejamento que leva a ação, lhe move a olhar pra frente, mas com controle do que você faz no momento. Assim, você não começa a estruturar sua vida com base na sua missão, mas ela é um resultado do que faz no dia a dia, só que agora consegue visualizar sem nenhum escombro na frente.

Eu tinha um Projeto de Vida estruturado desde 2009, e havia definido minha missão, a mesma por 6 anos. Irei reescrevê-la com relutância, porque simplesmente ela não era uma missão. É muito linda, comprida, verdadeira, cheia de palavras positivas, tão eu. E também tão vazia se a analisarmos como missão de vida.

"Consagrar minha vida a Deus, servindo a Ele em alegria, administrando com mordomia cristã meu tempo, dons e bens, pois tudo o que tenho e sou são do Senhor Deus. Viver uma nova vida a cada novo dia, cultivando os frutos do espírito: amor, alegria, paz, paciência, delicadeza, bondade, fidelidade, humildade, domínio próprio."

Não adianta você pegar uma frase bonita, copiá-la de um livro e dizer "essa é minha missão de vida" ou copiar a missão de vida de alguém. Ou defini-la com base nas influências do seu meio - ambiente e pessoas, ou pior, no que alguém disse para você que assim deve ser. Ela precisa brotar do que você faz, das ações que vem desenvolvendo, do trabalho e das causas que estava abraçando, ou do que gostaria de fazer. Quando você parar para analisar sua vida, perceberá se está "de bem" com o que faz, ou vive reclamando de tudo, precisando assim modificar alguma coisa. Se ela não tem a ver com seu trabalho, qual sua razão de ser?

Consegui escrever uma prévia da minha nova missão (digo prévia, pois não revisei mais ela, e tudo o que tenho feito e planejado tem a ver com estes dois universos distintos), que defini como:
"Inspirar as pessoas a buscarem mais qualidade de vida através da organização (construindo conhecimentos com o blog) e da música (desenvolvendo talentos/potencialidades com as aulas e coral)."

Se você acha difícil essa análise, é muito válido o que a organizadora profissional japonesa Marie Kondo sugere: precisamos reparar mais no que guardamos em nossa casa. Sim, no processo de organizar sua casa, você descobrirá quem você é. Se seu trabalho tem a ver com seus desejos e sonhos mais profundos, ou se o trabalho dos seus sonhos está guardado lá na estante do escritório (num livro que você adora, afim com alguma área) ou dentro de uma caixa de recordações da adolescência ou infância, por exemplo.

Outra coisa legal para fazer, que gera profundas reflexões e até tem a ver com este conceito da Marie Kondo, é o projeto 52 objetos. Certamente alguns dos objetos que colocará na sua lista, inclui os que tem a ver com suas verdadeiras paixões na vida. Desenvolvi este projeto aqui no blog em 2014, e não pensei que me confrontaria tanto assim, nem que me faria repensar tanto no valor dos objetos. Sou a prova de que eles realmente descrevem quem você é, o que você valoriza, o que você faz, o que você realmente gosta e te dá prazer e alegria.

Sinceramente acredito que Missão de Vida não é algo fácil de definir, mas com estas dicas, poderá ficar mais fácil. Organizando sua vida, seu trabalho, e especialmente aprendendo GTD, o caminho da descoberta ficará menos árduo e mais iluminado.

23 de outubro de 2015

Desafio # Organize os Brinquedos e Livrinhos # Como a Edel fez?


Pela minha experiência materna, até os 3 anos é bem difícil manter a ordem neste sentido em casa, mas coragem e fé mamães!, pois com educação e exemplo os pequenos aprendem direitinho o lugar das coisas! Sempre falei, falei, falei pro Guilherme, como era importante guardar tudinho depois da brincadeira, para não perder os brinquedos, para não se machucar caindo tombos com as coisas jogadas pela casa.

Quantas vezes ao fim da noite sentava no chão com ele e guardávamos juntos, sem contar nas vezes que acabava guardando sozinha mesmo, porque estava cansada de insistir e bater papo sobre "guardar os brinquedos". Agora que o grande entendeu a lição, tenho o segundo para doutrinar (rs...), mas acredito que com paciência, ele aprenderá também, até com o exemplo do irmão.

Hoje o Gui reconhece dizendo "mas o Miguel é bagunceiro, né mãe?", só que sempre o lembro de que ele fazia a mesma coisa nessa idade (1 ano), e que aprendeu, assim como o mano também pode aprender. Espertas as crianças são, ouvidos elas dão, ao que lhes interessa. E nessa idade nem sempre isso é parece muito interessante...

DICA!!! Algo que faço sempre é revisão nos brinquedos: itens quebrados, que não tem mais conserto vão diretamente pro lixo. Os meninos detonam alguns brinquedos com muita facilidade, especialmente os mais simples e descartáveis.

Enfim, as soluções que temos por aqui nestes 3 espaços são:

 

Quarto dos Meninos

 

Estante com caixas de feira com baldes e caixinhas

 

Esta mini  estante é muito show, para o Miguel que é pequeno, estar tudo a mão é uma festa! Num balde tem carrinhos e no outro ferramentas. Cada um tem a sua cadeirinha de carrinhos, mas os dois brincam com tudo, sem divisões do tipo "isso é meu, isso é teu."




Prateleira e Cômoda para os brinquedos e livrinhos 

 

Na cômoda deixo os livros que o Miguel não está liberado para detonar, digo, manusear, e que nós contamos as historinhas para eles. Como dá pra visualizar bem, são mais brinquedos grandes para decorar, e pra não ficar tudo tão acessível, pois às vezes brincar com uma coisa "nova" é diferente e mais interessante.

 



Caixas nas prateleiras do armário

 

Esta solução provisória virou permanente: caixinhas que comprei da Natura, neste espaço do guarda-roupa onde os cupins começaram a comer a porta e preferimos perder uma porta do que todo armário! Uma das caixas são itens "para montar", outra "para jogar" e a terceira caixa vocês podem perceber que esta sem identificação, era a caixa de "Para tocar", só que alguém aqui que não vou citar o nome ainda não está a favor das identificações. Então, paciência...

 



Saco para jogo de boliche

 

Uma camiseta velha que eu adorava virou saco para jogo de boliche: só cortar as mangas, costurar a parte de baixo e pronto!



Sala de Estar e TV


Na sala onde eles assistem desenhos, fica tudo literalmente esparramado, especialmente do pequeno Miguel. A solução mais prática para as coisinhas dele é organizar tudo dentro dessa mala, quando a brincadeira acaba.

 

Mala Antiga



 

  Na garagem e no quintal


Como moramos em casa, os meninos tem os brinquedinhos para brincar aqui dentro e lá fora, então, os "de fora" estão guardados desta forma:

Baldes para bolas e a bike estacionada na garagem



 

Carrinho de mão no espaço onde organizamos os itens da horta e jardim  


Detalhe: no momento da foto os brinquedos estavam "em ação', num momento lazer ao ar livre!


E aí, gostaram? Que soluções baratex vocês inventam para organizar os brinquedos e livrinhos dos pequenos?!

21 de outubro de 2015

Móbile e composição de quadros no quarto dos meninos



Hoje apresento alguns detalhes decorativos que fiz recentemente no quarto dos meninos, para dar um #tokdedecor ao ambiente!

Como logo desfiz o móbile de carrinhos do galho seco depois do níver do Miguel para começar a montar o Centro de Comando do Lar, e achei ele tão lindinho, resolvi colocá-lo no quarto dos meninos, preenchendo o espaço vazio que ficou na parede destinada aos quadros. Prendi o móbile num ganchinho no forro: simples, prático e sem quebra-quebra!

Bordei os motivos dos quadros em ponto cruz (minhas últimas obras-primas, rs...): os dois do nascimento (Guilherme e Miguel), do ABC, e do time do coração. Já o grandão foi presente da dinda Ivanir. As únicas fotos do quarto são dos porta-retratos que decoram a prateleira, e por hora está bom assim. Comecei o alinhamento dos quadros pensando futuramente incluir mais quadros em outros formatos de molduras naquela parede.

Para completar, na cortina "mistureba" verde e azul de blecaute coloquei os móbiles do Miguel, das nuvens e do nome, e o macaco do Guilherme.




20 de outubro de 2015

Participe da Semana da Mãe Empreendedora em Home Office!

Tenho um convite especial para fazer a você: participe da Semana da Mãe Empreendedora em Home Office! Uma iniciativa da empreendedora digital Tati Sklarow, da Empreender e Maternar, o evento acontecerá de 25 a 31 de outubro de 2015, onde acontecerão 7 palestras online e gratuitas, com estes temas:

  1. Como criar presença online e alavancar os seus negócios

  2. Gestão Financeira para Empreendedoras

  3. Maternidade: a profissão mais bem remunerada

  4. Como ser mais produtiva em home office

  5. Como conciliar maternidade e negócio

  6. Os segredos das mães empreendedoras de sucesso

  7. Os desafios de se trabalhar em casa e como superá-los!


Já participei de muitas palestras online, especialmente quando estava grávida do Miguel (aproveitei meu tempo ao máximo para buscar muito conteúdo de qualidade!!!), e elas foram profundamente transformadoras para mim. Percebi de uma vez por todas que precisava sair da minha zona de conforto, parar de dar desculpas e fazer alguma coisa a mais. Depois de conhecer o método GTD na fonte original então, A arte de fazer acontecer fez com que tudo ficasse ainda mais claro e óbvio para mim. 

O blog Transformando Espaços e a blogueira que vos escreve também está participando deste projeto, como parceira do Programa Star para Mãe Empreendedora. Desenvolvi um mini curso com o tema "Organize seu trabalho e seja mais produtiva com o método GTD", onde explico de maneira descomplicada o que é esse tal GTD e como ele pode fazer a diferença na sua vida. Meu objetivo é instigar a curiosidade de quem assistir aos vídeos a querer conhecer mais, ler o livro, e ser mais produtiva, feliz e realizada em sua vida, tanto pessoal como profissional.

Cadastre-se aqui para participar do evento e conhecer mais informações. Fique atenta ao seu e-mail, depois de se cadastrar, para não perder nenhum detalhe importante! Anote todas as dicas e insigths que tiver e sucesso em seus empreendimentos!



19 de outubro de 2015

Atitude # 33 - Organize seu escritório.

Atitude # 33 - Organize seu escritório.


Atitude # 33 - Organize seu escritório.


O blog (se ainda não está...) ficará cada vez mais recheado de sugestões legais para transformarmos nossos ambientes de trabalho em lugares mais felizes de fazer acontecer, os planos para 2016 tem tudo a ver com isso, nos "próximos capítulos" você conferirá isso. Eu vou amar escrever e falar sobre arquivos, trabalho, produtividade, office e home office... Porém como a atitude da semana era Organizar o Escritório, vou adotar somente as sugestões de Cheryl para compartilhar com vocês. Vamos lá?

Limpeza do ambiente

Não somente pó e sujeira, perceba também a poluição visual, os excessos, os acúmulos desnecessários de papel, revistas, apostilas...

Iluminação
Se trabalha à noite, um bom abajur pode ser interessante e acolhedor. Deixar a mesa próxima a janela ou entrada de ar também trará luz natural ao local durante o dia.

Qualidade do ar

Este item parece um pouco estranho para mim, pois sempre trabalhei em lugares com janelas, tanto nas casas e apartamentos anteriores, como no escritório há anos atrás. Porém para alguns talvez seja bem natural. Assim, para ambientes fechados, com ar condicionado, onde as janelas nunca são abertas, Cheryl sugere um purificador de ar, para amenizar o fato de respirar ar reciclado.

Água

Ter água por perto no ambiente de trabalho para manter o corpo hidratado nem é requisito de organização mas de saúde!

Objetos pessoais

O ambiente de trabalho precisa ser um lugar agradável de estar, confortável, com uma pitada de personalidade. Os objetos pessoais dos quais gostamos e tem a nossa cara transformam ambientes sérios e hostis num lugar prazeroso e feliz! 

16 de outubro de 2015

Resenha do livro 1000 melhores segredos rápidos e fáceis para você se organizar


Na época da faculdade, adorava passear na biblioteca, folhear (e ler, claro!) livros e revistas de Casa e Decoração. Conheci o livro 1000 melhores segredos rápidos e fáceis para você se organizar numa destas minhas buscas por assuntos diferentes. Fiquei instigada pelo título, li o livro, meu primeiro livro de organização, que depois fiz questão de comprar e reler mais muitas vezes. Tem dicas básicas, simples, práticas, acessíveis, sustentáveis, como a organização deve ser.

Jamie Novak é personal organizer nos Estados Unidos e relata nesta obra seus segredos profissionais, que agora deixam de ser segredos, ao conhecermos suas técnicas de organização para a casa, a vida e o trabalho. Uma das coisas legais que ela sugere é que tenhamos um plano de organização por cômodo, e façamos um panorama das nossas situações problemáticas, para depois atacar cada espaço de uma vez.

Querendo ou não, todo livro de organização sugere um plano, pois organização tem a ver com planejamento. Isto não quer dizer que você deve seguir ele ao pé da letra, mas pensar nas sugestões e adaptá-las a sua realidade, construindo seu próprio plano. Se você perceber que tal coisa pode funcionar para você e tiver aquele Click "puxa, como não pensei nisso antes!", então começará a fazer mudanças na sua vida, conforme o que você acha legal fazer.

Este livro é basicamente um manual para organizar a casa, mas não deixa de abordar o aspectos como agenda, tempo, finanças. Explica o que é a desordem e o que leva a ela, regras de ouro da armazenagem, dicas para manter a ordem com novas regras, além de soluções e ideias criativas para cada cômodo da casa.

Tudo que li sobre organização depois disso, sempre me soou como uma adaptação do que aprendi no livro dela, muito escancarada, como se as ideias fosses autênticas do próprio autor. Será que alguém um dia irá inventar um método de organização e produtividade melhor do que os que já existem? Não sei se é necessário, talvez os métodos ideais já existam, basta descobri-los.

Com relação a diversos assuntos, assim como com a organização, o que aqui no Brasil parece muito inovador, nos EUA já é conhecido faz tempo. Faça um passeio no Pinterest para conferir o que estou escrevendo, muitos de nossos álbuns de inspiração estão organizados lá.

Se você gosta de organização cor de rosa, com muita frescura, com vídeo e imagem, então não leia este prático e simples livro. Agora se você gosta de aprender com leitura, esta é muito interessante e didática, não é o livro perfeito, mas inspirador.

Fico intrigada e indignada quando percebo o plágio de conteúdos, e quando o autor parece estar criando conteúdo "autêntico", e você não consegue distinguir de onde se originou a ideia, se foi realmente original. Neste livro identifiquei traços da metodologia GTD,  como o  conceito de caixa de entrada e desanuviar a mente, por exemplo, e nenhuma referência ao método. Lógico que a autora deixou a sua versão, registrando os segredos que funcionam para ela. Só que faltou dar "pistas" e indicações de métodos relacionados, onde pudéssemos explorar e conhecer mais.

Assim, diante da facilidade com que geramos mais conteúdo em artigos, vídeos, imagens e outros meios, tenhamos bom senso. Que reconheçamos que o verdadeiro aprendizado acontece não quando copiamos o conteúdo que alguém já disse ou escreveu um dia, mas quando produzimos e construímos novos conhecimentos com base no que já existe, referenciando-os.

Sugestão de site para compra do livro.

14 de outubro de 2015

Curso de Organização de Arquivos com Tadeu Motta



O mês foi de grandes emoções e realizações, e uma delas foi ter a oportunidade de participar do Curso de Organização de Arquivos, ministrado por Tadeu Motta, O Organizador. Ele é de Vitória/ES, porém lançou este curso Organização de Arquivos para Personal Organizers com 3 datas fora do seu estado: em São Paulo, Belo Horizonte  e Rio de Janeiro. Felizmente a data de SP, último dia 3 de outubro, coincidiu com uma das datas da minha prova presencial da pós em música, então, inicialmente fiquei receosa de não conseguir aproveitar tanto quanto gostaria (só à tarde), mas depois, consegui agilizar a prova e ir para lá. Gente, foi só sair do edifício onde faço a prova, atravessar a Avenida Paulista, e estava no local do curso: como às vezes pode ser tudo tão perfeito?! 

Ainda mais belas coincidências me esperavam: conheci as queridas Sonia Hecker, (minha conterrânea lá do RS!), do Ambiente Organizado, a Joice Kreimer, colega colunista do blog Paixão por Organização, e mais colegas personal organizer, não citarei nomes, somente as que já conhecia antes. Além disso, claro, pude conhecer pessoalmente "o cara" dos arquivos que super admiro, e ninguém menos que a Thais Godinho, do Vida Organizada. Nos primeiros momentos do curso foi difícil concentrar, mas depois acalmei (rs...) e consegui aproveitar muito.

Organização de Arquivos é um assunto apaixonante para mim, então sou totalmente suspeita a falar. Não é a toa que mergulhei de cabeça no estudo de arquivos no meu relatório de estágio (fiz um manual de padronização de arquivo com base no estudo de caso de uma instituição) e foi um dos conhecimentos mais valiosos que levei da minha formação acadêmica de Secretariado Executivo. Descobrir como organizar um arquivo segundo a arquivística foi como descobrir um mapa do tesouro. Sério. Achava horrível não ter noção do que, onde e como guardar, e ver a papelada se acumulando sem ter uma gestão documental clara e objetiva, em minha própria casa. 

Discordo do Tadeu em poucos aspectos, a saber, quando fala em tom crítico do uso de pasta suspensa, de arquivos e estante de aço, o "combo", como ele "brincou". Podemos ter um arquivo desse tipo muito bem organizado e funcional, digo isso por experiência própria. Depois desse dia, passei a concordar com ele que a melhor pedida são os arquivos deslizantes porque otimizam o espaço de uma maneira fantástica! Para empresas, especialmente, é a solução perfeita, e um investimento que vale super a pena. Só que para casa e home office, acredito que exitem soluções diferenciadas e o "combo" pode ser bem aplicável. Se bem que um mini arquivo deslizante não seria nada mal...

Vamos enterrar o "arquivo morto"? Ele explorou muito isso, o que achei muito legal, porque arquivo tem vida, se não tem, não há razão de ser para existir: lixo pra ele. Sinto agonia ao ouvir este termo, mas já me acostumei, pois sei que as pessoas falam isso por desconhecimento de causa, e por não conhecerem o que é "gestão documental".


Móveis de suporte e produtos organizadores são muito importantes, mas a gestão documental é o grande segredo do sucesso quando tratamos de arquivos. Durante o decorrer do curso, não tinha como não me recordar do meu "manual de arquivos" do estágio, e fiquei feliz por perceber que estava bem dentro do foco, e na linha de pensamento de um super organizador, como ele (agora me achei, mas foi o que pensei mesmo). A única barreira que quebrei foi com relação a Tabela de Temporalidade, concluindo que com análise e parceria, é possível construí-la sim! Devemos construí-la se a mesma não existe, pois não há gestão documental sem ela. 

O calendário editorial do blog em 2016 está sendo construído com foco especialmente ao trabalho de home office, então certamente o item arquivos entrará com toda força. Esse curso veio na hora certa, para trazer ainda mais inspiração e boas energias! Amei, amei, amei!


Com Sonia Hecker

Com Thais Godinho

Com Tadeu Motta

Com Joice Kreimer

12 de outubro de 2015

Atitude # 32 - Durma bem.


Atitude # 32 - Durma bem.

Atitude # 32 - Durma bem.


Uma boa noite de sono faz a gente acordar com muito mais disposição e entusiasmo, uau! O contrário você também já sabe, depois de uma noite mal dormida: não nos concentramos durante o dia, ficamos cansados, irritados, ansiosos, com a saúde vulnerável, em resumo, uma nuvem negra da negatividade paira em nossas cabeças, e a produtividade, caí consideravelmente. Talvez tenha exagerado, mas é mais ou menos assim. Produtividade 0. Ou seja, é muito efeito e consequência negativa não se dar o direito à uma boa noite de sono reparador, hein?

Eis alguns pontos para refletir e por em prática pra melhorar nossas noites de sono...
  1. Mantenha o essencial e básico no quarto. Sem excesso de livros para ler ao lado da cama, ou poluição visual com excesso de outras coisas. Menos é mais, especialmente aqui. O lugar precisa inspirar tranquilidade, nada pra fazer, descanso.
  2. Invista num bom colchão e em roupas de cama de qualidade. Sua casa tem de ter o conforto de um hotel 5 estrelas nesse sentido, principalmente sua cama!
  3. Não faça refeições muito pesadas a noite, cuide de sua alimentação noturna, para que ela não atrapalhe seu sono.
  4. Tire a televisão do quarto. TV no quarto é um totalmente desnecessária, existem outras atividades mais interessantes para este ambiente. Poderia citar muitos porquês, mas prefiro deixar sem comentários, até já escrevi demais...
  5. Defina e respeite seu horário de dormir. Rotina de sono é importante, nosso corpo precisa disso, mesmo que por teimosia pensemos que não. Uma hora ele irá reclamar.
  6. Verifique a qualidade do ar no quarto, às vezes um purificador de ar pode fazer grande diferença.
  7. Existe mais alguma coisa faltando para que você deite a cabeça no travesseiro, fique relax e tenha bons sonhos?

Então mãos a obra, melhore o item que lhe parece pendente, e durma bem!

9 de outubro de 2015

Como montei o nosso Móbile do Lar?

Foi muito, mas muito fácil! Aqui temos o Fichário do Lar que centraliza e organiza as informações da casa, mas queria preencher o móbile de galho seco que estava tão vazio, ao dar também vida ao Centro de Comando do Lar. Assim relacionei alguns registros que precisava deixar mais visíveis, e coloquei-os no Móbile do Lar!

O cinco fios encerados são amarrados no galho seco, e os prendedores de roupa decorados com eva seguram as pastas L com os principais registros. Não resisti e coloquei fotos dos meninos, claro! Resolvi identificar o móbile com as palavras "Centro de Comando do Lar", também numa montagem de EVA, cabides e prendedores de roupa. A cola quente conectou as peças e uns objetos que guardava de recordação amarrei nas pontinhas, pra dar um charminho básico - sapatinhos, botões e uma cruz. Enfim, prontinho! Projeto vapt-vupt, com matéria-prima que tinha em casa!


 

7 de outubro de 2015

Bate-papo com a Personal Organizer Helena Alkhas

Inicio este bate-papo repostando sua razão de ser, seu porquê:

A profissão de Personal Organizer e o mundo da organização não é ainda tão conhecido quanto nós, profissionais da área imaginamos, e ao qual vivemos ligados e atentos. Por isso, como sou muiiiito curiosa, e quero que este conceito se expanda cada vez mais, pois reconheço seu valor e importância, resolvi trazer essa turma organizada para o blog, para compartilhar com os leitores um pouco do que fazem, dicas pessoais, como chegaram lá, onde estudaram, como se organizam em casa especialmente no home office, e na vida de maneira geral. É jogo rápido, só pra você perceber que tem muita gente legal fazendo A grande diferença no mundo de alguém!

Hoje compartilha conosco seu conhecimento/experiência e belo espaço literalmente A Personal Organizer brasileira/americana Helena Alkhas, que possui sempre dicas muito assertivas para nós profissionais da organização. Venha comigo acompanhar a entrevista! Vejam só como um post em parceria é tudo de bom: só edifica e faz a gente aprender mais um pouquinho! A-do-ro histórias, especialmente essas, relacionadas a Personal Organizer!

Bate-papo com a Personal Organizer Helena Alkhas


Helena Alkhas
Nome:  
Helena Alkhas

Site ou Blog: 
A Personal Organizer Brasil

Formação Acadêmica:

Direito - PUC/RJ

Marketing - IAG-PUC/RJ

MBA - Coppead/RJ

Paralegal Certificate - UCSD, Universidade da Califórnia, San Diego. Especialização em Desorganização Crônica - Institute for Challenging Disorganization

Especialização:

Organização Residencial, Desorganização Crônica

Local onde reside:

San Diego, Califórnia

1. Como você descreve os benefícios da organização na sua vida?

Enquanto solteira a organização e a adoção de rotinas sempre foram ferramentas essenciais para o meu sucesso profissional, porém somente depois do meu casamento, quando eu me mudei para o Japão e depois de ter filhos é que eu passei a ter uma real compreensão da importância de manter uma rotina estruturada e de manter a minha casa livre de excessos e organizada para que eu pudesse ter um espaço e tempo para o meu contínuo desenvolvimento pessoal.

Eu fui mãe e dona de casa em período integral por 9 anos, tendo me mudado 7 vezes em 11 anos devido ao fato do meu marido ser um oncologista na marinha norte-americana. Este período foi repleto de aprendizados de novas habilidades (as domésticas) e de treinamento intenso de habilidades (as de organização) que eu já sabia, mas que agora aplicava dentro do contexto doméstico.

Ter tido essa vivência pessoal foi muito recompensador e eu atribuo à organização o meu “sucesso” familiar, a minha felicidade pessoal e a transição relativamente tranquila de “dona de casa” para empreendedora.

Eu já observei, que nos períodos em que eu deixei de cuidar bem da casa, da nossa alimentação, da rotina da família em geral, foram também os períodos menos produtivos e felizes do meu trabalho como organizadora profissional. É um compasso interno, como se nós tivéssemos que viver o que praticamos para podermos ensinar e compartilhar com nossos clientes e comunidade de forma autêntica. Além disso, quando minha casa e minha rotina estão desorganizadas, eu não consigo pensar claramente, produzir nada. Então, já aprendi que é melhor me manter na linha para conseguir atingir meus objetivos!


2. Desde quando é apaixonada (o) por organização e há quanto tempo é "oficialmente" Personal Organizer? Onde fez o curso de Personal Organizer?

Eu descobri a organização profissional em 2010, ao ajudar uma amiga, mãe de um dos amigos dos meus filhos, com um casamento em crise, muito por conta do acúmulo dela e as despesas geradas por este.

Passamos diversas semanas eliminando muito excesso e reorganizando. Ao chegar em casa naquele primeiro dia com ela, eu fui direto para o Google e busquei informação sobre o assunto. Naquela mesma semana fiz meu primeiro treinamento, me associei à NAPO e ao ICD e passei a trabalhar como subcontratada para outras organizadoras da minha região.

Por serem empresas com uma diversidade de clientes muito grande, eu tive a oportunidade de trabalhar em projetos de todo tipo e tamanho, com times ou em dupla, com organizadoras com muita experiência e isso foi muito valioso para mim, pois eu pude aprender muito, não apenas o que eu gostava, mas também o que eu não gostava de fazer, com que tipo de cliente eu prefiro estar etc. Como no Brasil, aqui nos EUA a atividade de organização não é considerada uma profissão e não há, assim como aí, o requerimento de um curso ou treinamento para iniciarmos. Assim mesmo, eu sou grata por ter tomado a decisão de me associar à NAPO e ao ICD, pois através das aulas semanais eu fui adquirindo uma compreensão sobre o que causa a desorganização, sobre como trabalhar e que cuidados tomar para trabalhar com todo tipo de cliente, entre outras lições importantes.

3. Qual sua principal área de atuação - serviços de organização presencial, consultoria, palestras, workshops, cursos, ou ainda outra?

Meu trabalho é de organização do tempo (rotinas, atividades de cada membro da família) e do espaço (eliminar excessos e criar sistemas). A grande maioria dos meus clientes são mulheres, profissionais, mães de crianças em idade escolar e mulheres aposentadas e acima dos 60 anos. O foco do meu trabalho com o primeiro grupo é trazer a “sanidade” de volta à rotina da família, realocar recursos (tempo e dinheiro), assim como organizar o espaço. Normalmente estas clientes chegam até a mim quando já estão “enlouquecidas” e depois de já terem tentado se organizar, sem sucesso, sozinhas ou com outra organizadora.

Em geral eu trabalho entre 18-28 horas, lado a lado com a cliente em sessões de 3-4 horas, quando a cliente tem a oportunidade de observar sua vida, como utiliza seu tempo e recursos, seu espaço e fazer reflexões enquanto aprende, através do trabalho comigo, habilidades de organização que ela poderá utilizar uma vez nosso trabalho esteja concluído. Geralmente, o meu trabalho para o segundo grupo é de “downsizing” e mudanças.

Adicionalmente, eu ofereço consultoria para empresas no Brasil e nos EUA e desde 2013 eu ofereço consultoria para personal organizers brasileiras que querem orientação e mentoria, um programa de encontros mensais, quando divisamos um plano de trabalho e quando eu tiro todas as dúvidas da profissional. Devido à grande procura eu abri um site para o público brasileiro e estou desenvolvendo parcerias com colegas e empresas brasileiras.

4. Qual tipo de arquivo ou móvel possui em casa para organizar a papelada?

Ah, papeis! São, na maioria das famílias com que trabalho, fonte de muito trabalho e caos!

Felizmente, se tem algo que eu não tenho pena é de jogar papel fora e isso facilita demais a nossa vida. Todos os dias ao pegar a correspondência na caixa do correio, eu caminho diretamente para a lixeira de recicláveis e descarto tudo o que não preciso levar comigo para dentro de casa ou que não precise ser picotado. Eu também não assino revistas ou periódicos para facilitar.

Ao entrar em casa com a correspondência eu coloco tudo na caixa de entrada, no escritório do meu marido e uma vez por semana, com aquela caixa, eu sento por cerca de 40-60 minutos para administrar as contas e arquivar tudo o que tem que ser arquivado.

Eu uso um arquivo de pastas suspensas e uso o sistema Freedom Filer™ que facilita imensamente o uso do sistema para arquivamento e administração do nosso arquivo pessoal e da minha empresa.

Uma vez por ano eu faço a limpeza do arquivo, eliminando de forma segura o que não é mais necessário e iniciando o novo ano com pastas vazias. O sistema Freedom Filer™ facilita demais este processo, pois ele é montado de forma que eu saiba exatamente quais pastas/documentos podem ser descartados anualmente e quais devem permanecer.

5. Como é o seu home office? Pode nos mostrar uma foto do seu cantinho, especialmente da sua mesa de trabalho e cadeira que utiliza?

Por muitos anos eu dividi o escritório com o meu marido, porém temos ritmos, estilos de uso do espaço e de como trabalhamos totalmente diferentes. Ele pode trabalhar até de madrugada, precisa de música, muito ar gelado e nunca se importa se algo está fora do lugar, enquanto eu gosto de acordar muito cedo para trabalhar, gosto de silêncio, sou friorenta e preciso de ter tudo organizado para não ter distrações. Assim, no começo de 2014, quando ele precisou estudar intensamente por um ano preparando-se para uma prova, eu decidi montar meu “escritório” na entrada da nossa suíte, que é muito ampla.

Meu escritório, assim, se constitui de uma mesa, uma cadeira, um abajur, um telefone e um computador. A minha mesa possui duas gavetas de arquivo e quatro gavetas para objetos e a verdade é que eu não preciso de mais do que isso. A nossa impressora é wireless de forma que nas raras vezes em que imprimo algo, simplesmente vou ao escritório dele e busco a impressão. Ter um espaço mais restrito me ajudou a ser ainda mais seletiva e criteriosa com relação aos objetos que eu uso e por este espaço ser visível do meu espaço de dormir, eu faço questão de terminar cada dia com a mesa limpa.

Home Office Personal Organizer Helena Alkhas

Home Office Personal Organizer Helena Alkhas

Home Office Personal Organizer Helena Alkhas

6. Você aplica o GTD no gerenciamento de informações, rotinas e tarefas? Se não aplica, utiliza outro método?

Eu não uso o GTD e não o conheço a fundo para dar qualquer opinião a respeito, mas qualquer método de gerenciamento será ineficiente se o usuário não fizer o que for planejado e por isso eu foco muito mais em compreender em como eu funciono e executo do que no “planejar” per se. Afinal, não basta listar, temos que executar, não é mesmo!?

Pessoalmente, desde que comecei a estudar sobre as causas da desorganização, a aprender como o nosso cérebro funciona e sobre como processamos informações e o espaço a nossa volta, eu passei a compreender mais claramente como o meu cérebro funciona e isso me deu ferramentas para me compreender e desenvolver um processo de gerenciamento do meu tempo e do meu espaço que funciona para mim.

De forma resumida, eu sou uma pessoa que, antes de tomar uma decisão, gosta de ouvir todos os pontos de vista, que gosta de coletar o máximo de informação possível; que leva um tempo para digerir essas informações; que entra em “transe” quando está concentrada e que “esquece” do tempo por conta disso, esquecendo também do que “tem que” ser feito.

Para o mundo eu poderia transparecer como uma pessoa indecisa, distraída e até esquecida, mas na verdade eu estou absolutamente concentrada no que está sendo feito, estou processando as informações, amadurecendo a decisão a ser tomada, para então poder agir.

Sabendo que meu cérebro trabalha assim e que eu preciso dessa estrutura, me permite organizar o meu tempo de forma a obter o máximo de produtividade sem lutar contra a minha natureza.

Para lidar com o “esquecimento do tempo” eu aprendi a usar “gatilhos mentais” que nada mais são do que lembretes. Para mim, que também sou muito cinestésica, o sistema de alarmes do Google agenda no meu telefone (no vibrador) “é meu melhor amigo”, mas para outras pessoas poderia ser um Post-it na tela do computador.

Para uma pessoa como eu, foco é uma palavra chave e estruturar o tempo de forma que me permita me concentrar em um assunto de cada vez é essencial para o meu sucesso e por isso eu trabalho em "batches", agrupando atividades iguais em um período de tempo, me concentrando totalmente em um tipo de tarefa de cada vez.

Naturalmente ter uma empresa significa ter muitos projetos, muitas bolas no ar ao mesmo tempo, mas se nós observarmos, todo projeto requer ações similares: contatos telefônico, e-mails, pesquisa de recursos, criação de conteúdo e imagens, compra de produtos e assim por diante, de forma que mesmo quando gerencio múltiplos projetos eu posso focar em um mesmo tipo de ação de cada vez. Eu uso o Asana (ver abaixo) para a gerência de projetos e comunicação com minha assistente e uso tags para classificar tipos de tarefas, de forma que eu possa visualizar todas as tarefas do mesmo tipo, ver quantas eu tenho e programar meu tempo de acordo.

7. Que tipo de agenda e gerenciador de tarefas utiliza, físico ou eletrônico?

Eu uso tanto um calendário/agenda de papel (o meu, do Fichário da Casa Organizada™!) como um calendário eletrônico.

A necessidade de um calendário de papel nasceu de eventos que não foram salvos no meu telefone e que eu não me dei conta até o dentista das crianças e o meu cabeleireiro me ligaram para confirmar os horários. Eu então me dei conta de que poderia ter perdido um compromisso com um cliente também. Assim hoje eu uso o calendário de papel para registro de todas as atividades com um horário marcado e também uso duas ferramentas online para gerenciar tudo na minha vida, do trabalho com clientes até o estudo ou a limpeza da casa!

O primeiro é o Google agenda. Como sou eu quem cuida das crianças, das rotinas, da casa, dos eventos sociais etc. eu mantenho este calendário sincronizado com o calendário do meu marido, para que ele saiba o que está por vir e se planeje de acordo. Ele também insere informações importantes, como a escala do plantão e grupos de estudo. Já para o gerenciamento do meu trabalho e projetos da empresa eu uso Asana.com, que é uma ferramenta simples, pode ser gratuita se você não quiser fazer o upgrade e que sincroniza com o Google agenda, me dando um panorama geral do que está por vir para cada projeto.

8. Qual seu livro de organização preferido?

Um divisor de águas no meu trabalho com famílias com crianças, o livro 
Simplicity Parenting: Using the Extraordinary Power of Less to Raise Calmer, Happier, and More Secure Kids, por Kim John Payne.
Tradução literal: “Criando filhos com simplicidade: Usando o poder extraordinário do “menos” para criar crianças mais calmas, mais felizes e mais auto-confiantes”.  
e
Organizing for Your Brain Type: Finding Your Own Solution to Managing Time, Paper, and Stuff, por Lanna Nakone.
Tradução literal: “Organizando para o seu tipo de cérebro: Encontrando soluções para gerenciar tempo, papéis e coisas”

9. Qual produto organizador você não saberia viver sem?

Meu calendário e o Google agenda. Eu sempre me surpreendo quando encontro alguém que não utiliza uma agenda.

10. Que dica de organização você considera a mais essencial para sua vida?

Saber o que funciona para mim e respeitar os meus "ciclos" para planejar o meu tempo de acordo para ser produtiva e ter tempo para o que importa na vida, que é ser feliz!

E-mail para contato: 
helena@apersonalorganizerbrasil.com.

5 de outubro de 2015

Atitude 31 # Deseje o amor ao seu próximo.

Atitude 31 # Deseje o amor ao seu próximo.


Atitude 31 # Deseje o amor ao seu próximo.


Deseje sempre o amor, jamais a vingança, pois de nada adianta nem edifica, só destrói, em primeiro lugar a si mesmo, causando stress e indignação. Estar de bem consigo mesmo é o primeiro passo para desejar amor e o bem ao próximo. Quem deseja amor, faz o bem, não importa a quem. Sempre é bom e gratificante ajudar, e como diz meu marido, enquanto ajudamos, é sinal de que não somos nós que estamos precisando de ajuda. Cá entre nós, ajudar é bem melhor! Embora nessa vida estejamos sempre dos dois lados: ora ajudando, ora precisando de ajuda.

Uma boa dica para entender como as pessoas entendem o amor é descobrindo e conhecendo as cinco linguagens do amor. De nada adiantam lindas palavras, belos presentes, fazer de tudo para ajudar a pessoa, dar atenção e ouvidos a ela, se tudo o que ela precisa é de um abraço, um beijo, um carinho. Então dizer "eu te amo" pode significar muito ou nada, depende da pessoa. Você já parou para pensar nisso?

Resumirei as Cinco Linguagens do Amor, cuja resenha do livro que inspirou este post já escrevi aqui no blog. O foco do livro é para os casais, mas tente aplicar no seu contexto, pois elas são as mesmas para todas as pessoas, só muda um pouco o jeito de interpretar.

PALAVRAS DE AFIRMAÇÃO


Elogios e palavras positivas constroem assim como palavras duras, rudes e críticas também tem grande poder, e podem destruir o que a pessoa sente. Tenha sempre uma palavra legal e incentivadora para compartilhar, que você ganhou a pessoa que fala esta linguagem.

TEMPO DE QUALIDADE


Essa pessoa gosta de atenção, conversa olho no olho, passar tempo junto, simplesmente estar junto fazendo alguma coisa, muitas vezes nem precisa de longos papos. Ela quer seu tempo, não quantitativamente, mas de qualidade, assim ela se sente amada. O que fazer junto? Aí depende dos gostos de cada um.

PRESENTES


Quem é dos presentes, se derrete com flores, com um bilhetinho qualquer, com uma caixa de bombons, com coisas materiais que recebe, nem precisa ser um presente caro. Já reparou como tem pessoas que amam presentear, e sentem um entusiasmo diferente quando recebem alguma coisa? Então, tente perceber a sua volta e tenha certeza, essas pessoas são dos presentes.

ATOS DE SERVIÇO


Trabalhos domésticos em parceria, todas pessoas gostam quando tem ajuda e não precisam fazer tudo sozinhos em casa (seja você homem ou mulher). Tem os que gostam de cozinhar, ou limpar, ou organizar, e por aí vai. Para alguns esse "apoio" e "ajuda", que na verdade não é nem uma coisa nem outra, é dever mesmo, de todos em casa, é uma forma simples e marcante de demonstrar amor. Homens e mulheres: se não houver cooperação, não precisa pedir outra coisa, que a resposta será sempre NÃO! Quem se derrete com um marido que cozinha e ainda por cima lava a louça e deixa a cozinha impecável depois da bagunça? Para algumas pessoas isto significa muito, não somente no contexto casa, isso varia muito de cada um, pois as formas de auxiliar no trabalho são tão diversas! Este é somente um exemplo, existem tantos trabalhos!

TOQUE FÍSICO


As pessoas do toque precisam de muitos beijos, abraços, namoro, corpo a corpo, intimidade e tudo que vem junto com isso para se sentirem amadas e felizes. É a linguagem delas. Os homens geralmente são assim, mas as mulheres não ficam para trás também. Se essa parte vai mal, nem precisa dizer "eu te amo". Crianças tem necessidade de toque, de ser envolvidas com beijos e abraços, especialmente se veem os pais fazendo isso também. Por isso um tapa pode significar "ela não me ama", em vez de repreensão.

Todos nós gostamos de tudo isso, é ou não é? Mas geralmente destas, 2 ou 3 que significam mais para nós. Qual é a sua linguagem, conseguiu se identificar? De qualquer forma, continue desejando amor, fazendo o bem, mas aprenda a linguagem certa para desejar e expressar seu amor. Assim, suas mensagens irão acertar melhor o seu alvo!

2 de outubro de 2015

Desafio: Organize os Brinquedos e Livrinhos



No mês especial das crianças, nada melhor do que pensar em soluções para as coisinhas delas, como brinquedos e livrinhos! Abaixo relaciono os posts que já tratam do assunto, e algumas ideias diferentes e criativas para dar um jeito na bagunça!

Uma grande dica aqui, daquelas bem básicas: menos é mais. Mais espaço livre, mais espaço para brincar, mais controle da organização, mais facilidade de organizar, mais praticidade, mais tudo! Quanto maior for a coleção de brinquedos e livrinhos, precisaremos de mobiliário para isso, utensílios para guardar, uma estrutura maior e mais investimentos. Quem pode, faz uma big brinquedoteca, que não pode, recria, reaproveita e reinventa a roda!

Posts


5 dicas para organizar e decorar o quarto das crianças  - ideias da MMM
Brinquedoteca - algumas soluções diferentes
Minha primeira matéria - 3 dicas que compartilhei na Revista Necessaire
Espaço para Crianças - organizando lápis, livros e brinquedos
Cantinho da leitura - organizando livros

Inspirações

 

Fonte: Pinterest.

Baldes, amarrados ou não, são uma ótima e barata solução!

Caixas numa estrutura de madeira, "fácil" de montar, não?

Garagem para os carrinhos, com canos pvc, amei essa!

Cestos pendurados - ideia muito moderna e criativa!

Nichos baratex - com caixas de feira!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

GOSTOU DESTE CONTEÚDO? COMPARTILHE!