15 de julho de 2015

Resenha do livro As Cinco Linguagens do Amor


Existem acontecimentos que são grandes divisores de águas em nossa vida, e marcam importantes fases. Como é bom quando o milho esquenta na panela e vira pipoca, e não permanece sendo eternamente milho. Assim somos nós com os aprendizados da vida, quando não somente absorvemos os conhecimentos, mas deixamos que eles façam suas devidas transformações através de nossas atitudes. 

A descoberta das Cinco Linguagens do Amor marca um antes e um depois. Um antes egoísta e infantil e um depois de pura entrega e maturidade emocional. É uma leitura imprescindível para quem deseja entender porque alguns casamentos dão certo e outros não.

O segredo é simples, as pessoas entendem o amor de formas diferentes, possuem necessidades emocionais diferentes, e sentem que são amadas por meio das cinco linguagens, a saber: palavras de afirmação, tempo de qualidade, presentes, atos de serviço e toque físico. 

Até me emocionei ao ler ele de novo para resenhá-lo e percebi o quanto eu sou totalmente da linguagem tempo de qualidade. Meu marido é dos atos de serviço. Dentro de cada linguagem ainda existem dialetos específicos, e se os cônjuges falarem a coisa certa, um reconhecerá no outro o quanto é amado verdadeiramente.

O conselheiro matrimonial Gary Chapman escreve claramente sobre cada uma destas cinco linguagens, trazendo exemplos de casais que estavam prestes a se separarem porque o amor entre eles havia acabado, como é tão normal após alguns anos de casamento. Como ele cita, seus "tanques emocionais" estavam vazios. Não há entendimento se um fala francês e outro italiano. No amor também é assim, e a gente se vê em cada palavra e exemplo por ele comentado. 

Para que os casamentos deem certo, os tanques do amor precisam estar cheios, transbordando, o que só acontece quando conhecemos e decidimos falar a linguagem certa do nosso parceiro. Segundo Chapman aquilo que mais criticamos e nos incomoda no relacionamento, são atitudes que de certa forma estão ligadas a nossa primeira linguagem do amor.

Amor é uma escolha. O amor é uma decisão. O amor faz milagres. A paixão é egoísta e passageira, quando descemos das nuvens num relacionamento, não temos consciência do que é o amor, ou confundimos as duas coisas, achamos que o mundo perdeu o brilho e o significado. Amar dá trabalho, mas também é o amor que gera os melhores resultados. 

Não é do amor romântico que escrevo, aquela coisa melosa, sentimental e ilusória. Há uma grande diferença entre paixão e necessidade emocional de sentir-se amado, e muitas pessoas em geral, até mesmo aquelas que pensam saber claramente a diferença, não o sabem. Todos os casais deveriam ler este livro, escolher apaixonar-se pelo amor, viver o amor, e mudar suas vidas pelo amor. Se isto não é viver intensamente, então, alguém me explique por favor, o que é.

Confira mais informações sobre o livro aqui.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

GOSTOU DESTE CONTEÚDO? COMPARTILHE!