15 de junho de 2015

Relatos de uma viagem super organizada

Você cria grandes expectativas com relação a seus sonhos prestes a se realizarem, sonha alto, como deve ser. Perde noites de sono, fica em estado permanente de euforia. Sente-se perdidamente apaixonada por você, sua vida, suas escolhas. Acha que está no comando, que a força do pensamento positivo, do otimismo, te levará ao seu céu azul. Você até já se sente realizando o que espera, já imagina como será profunda está transformação. Você está perdidamente envolvida.

Vence aos poucos cada obstáculo, rumo a seu alvo. Sem pisar ou deixar ele para trás, porque sonho deve estar na sua frente, um pouco distante, mas real, não no nível do chão, mas nas alturas. Só que quando tudo parece estar tão perfeitamente organizado e os acontecimentos se encaixando, você ouve na sala de embarque do aeroporto: "seu voo está cancelado". Agora o jeito é pegar o carro, voltar pra casa e participar da conferência somente virtualmente. Voo perdido, reservas de hotel perdidas, check in online que em vez de facilitar o processo, só foi para facilitar o pagamento de multas. Parece o fim do mundo, mas é assim que nos sentimos quando nossas expectativas são jogadas no fundo do mar, do rio, ou do lago. A tristeza toma o lugar da alegria. Profundamente frustrada me pergunto "Como lidar com frustrações?".

Graças a providência divina, Deus colocou no meu caminho mais uma, corrigindo, 3 mulheres entusiastas, que não se deixam abater na primeira nuvem ou neblina forte, que impediu a descida do avião em Cascavel/PR. A primeira vista parecia que aquele não era o melhor momento para nos conhecemos, não naquelas condições, putz, quanta frustração, e agora, o que faremos? Vamos de ônibus. Os 3 celulares movendo céus e terra, atrás de horários de partida das linhas de ônibus, analisando o horário de chegada em nosso destino, SP. O tempo passando, chegaremos atrasadas, sem "make" alguma, com cara de noite mal dormida. Gente, que desespero. Estava resolvida já, de ônibus não iria, que possibilidade maluca, iria gastar mais do que de avião, e não seria nada produtivo o dia seguinte.

O tempo passando, e finalmente as atendentes começaram a nos chamar para avaliar o que seria feito. Parece que o mundo era nós 4 e nossa viagem que não poderia não sair, sem nos darmos conta de que mais pessoas estavam na mesma situação, aguardando pacientemente o que seria resolvido. Em resumo, depois do cancelamento do voo fomos de ônibus até Maringá e de lá pegamos o voo para SP. A previsão de chegada era 18h, no entanto pousamos no aeroporto de Guarulhos meia noite. 

A alegria era contagiante, e desde que recebemos a notícia de que sim, iríamos seguir viagem, não paramos de conversar mais, até cada uma tomar o seu destino. Sandra e eu já nos conhecemos antes da viagem no grupo do evento do facebook, trocamos telefones, ela me deu as dicas de como chegar no aeroporto de Cascavel, que é bem mais perto daqui do que de Foz do Iguaçu, apesar de lá ser mais difícil passar por estes percalços de o voo não sair. Enfim, o barato poderia ter saído caro, mas no nosso caso, só foi mais angustiante e cansativo.

A viagem acabou sendo um sucesso, como a 2ª Conferência Internacional de Profissionais de Organização, cheia de grandes emoções. Pensa numa enorme galera apaixonada pela mesma coisa que você, como não ser algo eletrizante, sensacional, contagiante? Tietagem do começo ao final, muitos clicks, ouvidos atentos, línguas afiadas e afinadas na mesma linguagem: organização. Até os comediantes se saíram bem, mesmo não sendo da área. Produtos organizadores, a tentação do personal organizer, acho que ninguém saiu sem comprar alguma coisa, será? Assim se passou o excelente dia de sábado, repleto de informações para serem processadas, organizadas, refletidas e cada uma encaixada no seu contexto profissional.

Pulando a parte da noite, onde nos desencontramos e cada uma tem suas próprias histórias pra contar, pois algumas ainda tiveram pique para papear mais até tarde, na manhã seguinte era hora de voltar. Maravilha, super organizadas, com o mesmo volume de malas que viemos, mesmo com as novidades da conferência, o táxi nos levou ao aeroporto. Perfeito. Chegando lá 11h30min, organizamos o check-in, e pensei, iríamos para a sala de embarque aguardar, estava com note, celular, livro, tudo a mão para passar bem o tempo. Que nada, elas inventaram de ir para o outro lado do aeroporto, fazer mais comprinhas. O voo partiria as 13h30min, mas o embarque se iniciaria às 12h50min. Resolvi não participar do último passeio, e na maior boa vontade resolvi ficar com as bagagens de mão de todas, porque ficaria ali sentada mesmo, esperando, até elas chegarem.

Oops, em questão de segundos me flagrei do que aprontamos. Oops! Sem liberdade nenhuma. Oops! Na sala de embarque não da pra ir de carrinho. Oops! Passar todas as bagagens demão na esteira. Oops! Sem lanchinho, sem ida ao banheiro, sem água. Oops! Que cilada me meti. Oops! Vamos esperar elas voltarem para entramos todas juntas. Sentei ali perto da entrada, e quando eram 12h30min comecei a guardar o note e a me preparar para começar a ficar nervosa. 

Quando vi eram 12h56min e nada delas. Me fui com todas aquelas coisas penduradas, meio que pagando mico, dizendo "minhas amigas me deixaram na mão, foram dar uma saída antes do voo e ainda não apareceram". Edel, ninguém está interessada em explicação nenhuma, hmm... Elas vão perder o voo. Graças a Deus uma alma caridosa me ajudou com a bagagem de uma delas, e eu fiquei com as piores, mas na subida da escada tive de passar mais uma mochila para o educado senhor prestativo, e subi com as demais, senão acho que não tombaria. 

Dentro do avião, tudo acomodado, vieram as 3 correndo, desesperadas. Embarcaram, falavam as três ao mesmo tempo, nada nervosas, só por pouco não perderiam o avião. Só tenho duas coisas pra dizer: "Desculpe e obrigada!!!", lembro que uma delas exclamou. "Cadê meu celular, ficou na caixa da esteira, moça liga pra lá, não posso perder meu celular". Procura na bolsa e encontra o bendito. Ufa, agora aos poucos a tremedeira vai passando. Com essa galera é só altas emoções, alto nível, enfim, organização total. Ah, tudo bem, amiga é pra essas coisas, não é? Ok, é uma lição para não ter próxima vez. Pra finalizar: tudo acaba bem, e se não acabou bem, é porque ainda não chegou o final. Agora se explica minha dor no braço esquerdo, mas faz parte. Preciso usar a mala não a mochila da outra vez, chega de superação em itens para viagem.

Foi uma experiência maravilhosa conhecer gente aqui de tão pertinho, do interior do Paraná também apaixonada por organização, a Sandra que começou há pouco tempo com a SZOrganizer, e a Carol e Bruna há 6 anos na estrada com a Tokdom, todas com a mesma empolgação, como crianças indo conhecer a Disney, mais ou menos assim. Como conversamos, temos de nos ver como parceiras e não como concorrentes, pois é realmente o que somos. Tem lugar pra todo mundo, basta que cada uma encontre o seu espaço e saiba explorar diferentes oportunidades pelo caminho. Bem, está na hora de encerrar, pois se começar a narrar tudo o que conversamos... 

Bruna, Carol, Aracy, Sandra e eu, no início da Conferência
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

GOSTOU DESTE CONTEÚDO? COMPARTILHE!